segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Emudeço



Quando a resposta silencia

quando mentira aguarda
quando o ar parece pesado demais
para fluir entre nós.

Só o vazio das horas
Só, vendo a vida passar
Só o silêncio como resposta

Palavras à deriva
escorregam enquanto passa
a chuva sem fim

Imagens de luz
dançado diante de mim
pensamentos se movem

Excitante e convidativo
amor eterno sem limite
brilha ao meu redor
Refaz a vida 
em momentos óbvios.        
                                                                          Paulo Knop

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Apenas nada


 
penso que sou nada.
ser nada
me agrada
sou pleno nada
nada  superior
nada  inferior
apenas nada
apenas alguém
apenas   íntegro
apenas
nada comparável
nada preconceituoso
um reflexo
                                                    de nada


                                    Paulo Knop

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Em Segredo.



Segredo escondo
no silêncio da alma
palavras tímidas
em reflexão

Em meu intimo
compartilho emoções
absorvo o alheio
envolto em devaneios

Lhe entrego por inteiro
mostro minha alma
e pra você
eu choro
imploro
teu encanto

Pela janela eu grito
mas você
não me ouve
não me escuta
me ignora

Sem a sua presença
não há brilho
não há esperança
em  segredo escondo
                                                                    Paulo Knop - 11/2012



sábado, 10 de novembro de 2012

Apocalipse dos Anjos


http://wilmabarsotti.blogspot.com.br/2011/10/duas-flores-amarelas.htmlHoje
Não cantaremos o amor
nem cantaremos ao ódio
cantaremos ao medo

o medo que se aflora por dentro
o medo de mãe
o medo da mentira
o medo das igrejas
o medo da morte
o medo que não se pode enterrar
o medo do mundo

Depois de morremos de medo
nascera em nossa sepultura
                                                               flores
                                                               flores amarelas
                                                               amarelas de medo    
                                
                                                                      Paulo Knop <><  Nov 2012

"Inspirado poema deCarlos Drummond de Andrade"

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Estranho Enigma


                                               
http://thiagolosant.blogspot.com.br/2010/03/pensador.html#comment-formInevitável é a morte
estranho enigma
verdade derradeira
a consciência da morte

O medo que nos corteja
no caminhar da vida
acabar quando 
menos se espera

Temor do escuro
passo ao desconhecido
retorno as cinzas 
o frio abraço da despedida
final de uma jornada
revelação da fragilidade da vida

Não esquecer os que foram
lembranças de cada momento juntos
essência da eternidade
fascínio da alma

A morte faz parte da vida
uma viagem em novas terras
de um vasto oceano
devaneio sem fim sem volta
ninguém pode fugir

 Paulo Knop  11/2012