quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Voz ao Vento


OBRA-PRIMA NATURAL  Do blog ECOnsciência
Não havia mentiras
cria-se uma imagem
que não se busca
do amante ardoroso
da realidade nua
de um mundo disperso

Desejos e incertezas
de amor e  ambições
A esperança de um gesto
uma palavra

Luta se
contra recordações
ambíguas vazias
simples no chão
sem vida, sem prazer
apenas uma voz ao vento

                                      Paulo Knop 


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Pensando em Responsabilidade Social





          "Penso logo existo".         Poderíamos afirmar isto hoje? Todo ser pensante que habita o nosso planeta Terra existe realmente?  Ou simplesmente habitante de um mundo desigual, onde só se pensa em si, ou nos meus.
      Compreender o incompreendido,  o porque da miséria, como surge estas diferenças sociais, são pensamento que deve se induzir a cada individuo, em cada criança deste planeta.
     Vamos valorizar o futuro, as gerações de nossos filhos e netos, que têm o direito de esperar o mundo que lhes deixarmos. Ter uma consciência de nossa responsabilidade social, por conta de se viver uma era de avanços científicos e tecnológicos, tem-se observado que nem todas as mudanças têm beneficiado a todos.
     Ter se tornou mais importante do que Ser. O mundo ficou mais competitivo. As pessoas estão mais materialistas e menos espiritualistas. É o  fenômeno da globalização  gerando muita exclusão social, fome e desemprego, desequilíbrio ambiental , corrupção, etc.  
     Por isso, não podemos deixar de afirmar: a qualidade de vida que queremos é diferente. Ela está ao alcance de todos dentro de uma lógica que respeite nossas relações com o nosso processo pessoal, os nossos semelhantes e todas as demais formas de vida do planeta.    
      Para isso é preciso que todos tomem consciência da necessidade de engajar nas lutas de políticas sociais, adquirir uma responsabilidade-social a fim de reconstruir a sociedade que aí está.
     Ser responsável social é olhar este planeta, com um olhar disperso, e vermos que somos apenas um, em uma multidão de tanto desiguais.
                                                                                         Paulo Knop - 2007
      “O mundo é capaz de prover a todos o suficiente para as suas necessidades básicas. Mas não é grande o bastante para prover os desejos de uma só mente ambiciosa”.  (Gandhi)

domingo, 14 de outubro de 2012

Conhecimento

http://washingtonallifer.wordpress.com/2010/09/22/obras-de-salvador-dali/
O livro arvore-Salvador Dali
             Consciência da verdade coerente
             Origem empírica da sabedoria
             Não temer a duvida
             Harmonia da alma
             Essência da existência
             Crença na benevolência
              Interação da razão em Si
             Misterioso, volúvel ,constante busca infinita
              Eterno caminho a seguir
              Negligenciar a mentira
              Transformação da concepção humana
              Ordem divina de todas as coisas

terça-feira, 9 de outubro de 2012

O prazer de ler



O prazer de ler é resultado de estímulos constantes, que aos poucos se torna uma questão de gosto, de escolha pes­soal, de atitude.
Para chegar a essa escolha é necessário ter acesso ao li­vro, depois vem o entendimento de que se trata de uma janela por onde acessamos séculos de conhecimento; é brinquedo que não acaba, é viajar sem sair do lugar, é o mundo na ponta dos dedos que se descortina em um virar de página.
Ler, entender, refletir, escrever, transformar. O livro é o passaporte para o autoconhecimento, para aprender a ler o mundo, viabiliza conquistas individuais e coletivas, inspira transformações, dá voz às idéias.
Investir em ações que promovem o livro é investir na for­mação de cidadãos, é contribuir para a construção de um país mais justo. Não há como discordar de Monteiro Lo­bato: "Um país se faz com homens e livros".


(Texto retirado da Coleção Obras-Primas, Nova Cultural)


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Manifesto


       Súcia de políticos que governam este pais.
      Povo egoísta que os elegem, com  promessas frívolas. Até quando toleraremos estas  demagogias?
      Enojam se pensam que acreditamos.
        Os governantes e o povo em conúbio. Um  finge que faz e o povo finge que vota.  Nos dois extremos os pensamentos são dúbios, egoístas. A ideologia desapareceu como por encanto. Hoje candidatos vestem máscaras e fantasias  para afanar nas surdinas as verbas públicas que deveriam ser destinada para servir a todos ou melhor, ser  comum a todos, pois esta é a etimologia da palavra “pública”.
        “Cada um por si, e Deus por todos”. Com este pensamento muitos votos são depositados nas urnas. Seguem antigas lições: “Gosto de levar vantagem em tudo. Certo?”.
        Escolher o candidato, pesquisar sobre ele é o que se deve ser feito nesta eleições. Por isto escolhi cada palavra deste texto, se você não as conhece, pesquise sobre elas. Assim devemos agir na escolha dos candidatos.
                                    Seja feliz em seu voto.
                                  
                                                                     Paulo Knop
                                                                                        10/2012